Dor de ouvido após a piscina? 4 dicas para evitar infecções

02/12/2019 09:00

Dor de ouvido após a piscina? 4 dicas para evitar infecções
Verão, férias, praia e piscina. Essas palavras parecem sinônimos ou, pelo menos, se complementam na época mais quente do ano. Difícil achar alguém que não curta dar um mergulho, nadar e se divertir na água para espantar o calor. Mas é claro que essas diversões aquáticas pedem alguns cuidados especiais com os ouvidos, para evitar dor de ouvido e até as infecções no ouvido

As infecções nos ouvidos podem aumentar no verão e com isso atrapalhar o descanso de muitos veranistas. Não é segredo para ninguém que este tipo de problema aumente no verão. Obviamente que a causa não é a estação, mas sim a combinação entre altas temperaturas e atividades na água que acaba resultando em alguns transtornos.

O calor e a umidade presentes na atmosfera são o cenário adequado para vírus, bactérias e fungos. Se adicionarmos a isso os banhos na praia ou nas piscinas (até mesmo na piscina infantil) e com mais uma falta de cuidado nas questões de higiene, é muito provável que um dos resultados seja uma infecção no ouvido.

Normalmente quem mais sofre com este tipo de problema são as crianças. Até porque elas não têm uma noção muito clara para adotar atitudes de prevenção. Os pequenos também são mais vulneráveis a esse tipo de otite, pois, além de passar muitas horas na água, suas trompas de Eustáquio (canal entre a faringe e o ouvido) são mais curtas e os agentes infecciosos chegam mais facilmente ao ouvido médio.

Em nossos ouvidos há uma quantidade significativa de microorganismos presentes que não causam problemas de saúde. Eles vivem no canal auditivo em perfeito equilíbrio. No entanto, se houver um aumento de umidade e isso for combinado com altas temperaturas, essa harmonia poderá ser quebrada.

Se há muita umidade por um período prolongado, o pH do ouvido muda. Isso causa um aumento de fungos e bactérias. No final, esse fator é o que acaba levando às infecções. Somado a isso, há os produtos químicos nas piscinas que ampliam este risco. 

O banho de mar também pode causar problemas. Até mesmo em lagos ou rios existem bactérias que podem prejudicar a saúde.

Sintomas da infecção de ouvido

O sintoma mais característico das infecções de ouvido é a supuração (pus). Normalmente é um líquido de cor amarelada. Mas se houver muitas bactérias, o líquido pode ficar com uma cor esverdeada, às vezes muito intensa.

O outro sintoma muito comum é dor e desconforto nos ouvidos. Há calor, inchaço e vermelhidão no ouvido, ou atrás dele. Às vezes a dor não é constante. Mas se houver desconforto, é um sinal de infecção.

Quando a infecção é de origem bacteriana, há mais dor. Se a causa é algum tipo de fungo, em vez de dor, é possível sentir uma forte coceira. Nas crianças, especialmente se são muito pequenas, um dos sintomas comuns é que tocam os ouvidos com muita frequência, como se sentissem desconforto.

Como prevenir infecção no ouvido

As principais medidas a serem tomadas para prevenir infecções de ouvido no verão, além das infecções respiratórias, gripes e resfriados relacionadas ao canal auditivo, são as seguintes:

1. Uso de tampões de água

Os plugues são especialmente recomendados para aqueles que já tiveram infecções no ouvido no passado. No entanto, nenhum plug elimina completamente o risco de infecção.

2. Secar os ouvidos adequadamente 

O uso de hastes flexíveis não é recomendado, muito menos para uso na parte interna. O mais apropriado é usar uma toalha limpa e seca, passando-a suavemente pela cavidade do ouvido. Isso também é recomendado após o banho.

3. Evitar mergulhos bruscos 

Entrar na água com um salto de uma altura considerável implica sujeitar o ouvido a uma mudança repentina de pressão. Isso pode acabar causando lesões e favorecendo o aparecimento de alguma infecção.

4. Como remover a água do ouvido

Quando você deixa a água no ouvido por longos períodos, o risco de contrair uma infecção também cresce. Para tirar a água do ouvido, o mais indicado é deitar ou ficar com a cabeça para o lado, movendo o lóbulo da orelha para cima e para baixo, para facilitar a saída da água.  

Não é aconselhável se automedicar, mesmo com gotas ou remédios que já haviam sido usados anteriormente. Se houver suspeita de infecção, a única coisa que deve ser feita imediatamente é procurar ajuda médica, porque apenas um médico pode diagnosticar com precisão o problema, recomendando, por exemplo, o uso de antibióticos ou anti-inflamatórios.

Clique aqui e fale conosco no whatsapp!